Abel Resino, em declarações no final do empate (0-0) no Dragão, que eliminou o At. Madrid da Liga dos Campeões, acusando o árbitro de não ter assinalado uma grande penalidade e dizendo que isso fez a diferença:

«A ideia era chegar ao intervalo com um bom trabalho defensivo, porque o F.C. Porto é muito forte na frente, e lançar o Forlán na segunda parte para chegar à vitória. Mas faltou-nos força física na parte final. Houve um penalty claríssimo na área do F.C. Porto e isso podia ter feito a diferença. O penalty sobre Simão é claríssimo. O adversário jogou muito fechado atrás, o que nos impediu de criar boas ocasiões de golo. Na segunda parte preferimos o contra-ataque para abrir mais espaços, mas não chegou para marcar um golo. A nossa ideia era dar a primeira parte, ir mudando o jogo e conseguindo tomar conta dele. O F.C. Porto foi melhor do que nós em Madrid e isso fez a diferença. Nunca teve de se descobrir, esteve sempre atrás, defendeu bem e nunca precisou de deixar a defesa desguarnecida. Gostava de ter visto o que tinha acontecido se o penalty fosse marcado e o F.C. Porto tivesse de subir em campo.»