«Estou sempre satisfeito com aquilo que faço. Considero-me um guerreiro e estou aqui para a luta. Foi um jogo difícil, sabíamos que tínhamos uma responsabilidade acrescida porque somos favoritos nesta prova e as dificuldades fazem parte do crescimento de uma equipa. Mais importante foi que conseguimos a vitória e estamos satisfeitos com isso», começou por destacar depois da última partida.

Uma vitória valorizada pelo lateral que considera a equipa de Manuel Machado como uma das melhores da Liga. «É verdade que fizemos uma primeira parte excelente. Normalmente quando as coisas não correm bem é mais fácil tirar o mérito, neste caso à Académica, que eu considero uma das melhores equipas do campeonato, joga muito bem futebol e tem bons jogadores. A primeira parte foi totalmente dominada por nós mas na segunda parte não soubemos controlar a bola, tínhamos que ter mais paciência com a bola, fomos um pouco precipitados. Mas olhando ao contexto, em que toda a gente sabia que hoje era obrigatório ganhar, penso que o objectivo foi cumprido, com dificuldade, mas foi cumprido», acrescentou.

O lateral fez cinco jogos como titular no início da temporada, alternando com Miguel Garcia, até que os dois foram subitamente afastados com a adaptação de Marco Caneira ao mesmo flanco. Abel prefere não comentar a longa ausência. «Essa pergunta vou guardá-la só para mim. Estou aqui no Sporting há mais de um ano e o treinador sabe perfeitamente com o que pode contar. O Abel é sempre o mesmo, jogue ou não jogue, mas logicamente que quando não jogo não me sinto realizado», referiu sem aceitar a palavra «triste». «De maneira nenhuma. Jamais! Faço aquilo que gosto», acrescentou logo a seguir.

Com o F.C. Porto e Benfica fora da corrida, Abel assume o favoritismo dos leões para a conquista da Taça. «Neste momento somos os favoritos, admitimos desde o início que é uma das competições que queremos vencer, mantemos essa linha e vamos fazer tudo para o conseguir», comentou.