O F.C. Porto, já se sabe, costuma sentir-se em casa quando vem a Coimbra, onde não perde há quase 38 anos, mas desta vez esmerou-se no resultado, aplicando chapa 3 a uma Académica que, no consulado de Domingos Paciência, nunca tinha perdido por uma diferença de golos tão dilatada.

Esta época, a Briosa só havia sofrido três golos num jogo, na Madeira, frente ao Nacional, mas já depois de Lito ter aberto o marcador. Para encontrar um resultado semelhante ao da última jornada, é preciso recuar até Agosto de 2007, nos derradeiros dias de Manuel Machado, quando os capas negras foram cilindrados em Alvalade, por 4-1.

No ano passado, de resto, os estudantes sofreram três golos em várias ocasiões: diante do Estrela (3-3, em casa, e 3-1 fora), V. Setúbal (3-1, fora), Benfica (3-1, casa), numa sequência consecutiva de jornadas, frente ao Sp. Braga (3-3, casa) e à U. Leiria (3-1, fora).

Actualmente, a Académica têm-se destacado por sofrer menos golos se bem que, na verdade, melhorou em praticamente todos os aspectos.

Pedro costa castigado

Os comandados de Domingos Paciência regressam ao trabalho nesta terça-feira, às 16h00, para começarem a preparar a deslocação a Paços de Ferreira. Mais uma vez, o jovem técnico não poderá contar com alguns jogadores, casos de Sougou, que irá cumprir o último jogo de suspensão, e de Pedro Costa, depois de ter visto o quinto amarelo frente ao F.C. Porto.

A boa nova é que Hélder Cabral está de regresso, devendo ocupar, justamente, o lugar de Pedro Costa, tal como Luiz Nunes, que após limpar castigo, irá voltar ao onze em detrimento de Amoreirinha.