A ocasião poderia ser especial mas, de acordo com Domingos Paciência, o mentor da ideia, tratou-se apenas de aproveitar a pausa competitiva e os dias de sol para estreitar os laços de amizade entre todos os que estão envolvidos no dia-a-dia da equipa.

«Sou daqueles que defendem que não deve haver só jantares de Natal mas também noutras ocasiões. O convívio é sempre importante e não apenas de vez em quando. Quisermos reunir toda a gente que trabalha da academia», explicou o técnico, enquanto mastigava um dos petiscos servidos à mesa: entre outros, as tradicionais febras, entremeadas e frango. Só não foi possível apurar se galináceo fez parte da ementa de Peskovic ou Rui Nereu, os dois guarda-redes presentes.