Bruno Ferreira

Ainda não sofreu qualquer golo no Estádio Cidade de Barcelos, e não foi por falta de tentativas dos adversários. Fez um número impressionante de defesas, quer frente à Académica quer perante o Sp. Braga. Está na equipa da semana do nosso jornal e recebeu nota máxima dos jornalistas do Maisfutebol. Adriano Facchini é o herói do momento em Barcelos.

«Não me sinto herói, sinto que fui importante nos momentos em que a equipa precisou, tal como todos os outros elementos da equipa. Somos um grupo. Sozinho lá dentro não conseguia como eles também não conseguiam. Fiz parte do sucesso com a minha contribuição», referiu o guarda-redes, comentando a sua preponderância no grupo.

Recusa o estatuto de herói, mas ainda assim reconhece que foi tudo perfeito na noite em que manteve a baliza inviolável mesmo perante um adversário com mais dois jogadores: «Foi um grande jogo, é normal ter mais trabalho pelo facto de estarmos com menos dois jogadores. Foi um jogo que me correu bem, um jogo quase perfeito».

«Na segunda e na terceira defesa só deu para reflexo»

O último lance da primeira parte foi um dos momentos do jogo. Facchini fez três defesas de grau de dificuldade elevadíssimo. O guarda-redes diz que fez tudo no momento certo: «Já vi as imagens. Foi tudo muito rápido, e fiz tudo no momento certo. Na primeira defesa consegui controlar um pouco a situação, na segunda e na terceira só deu para reflexo mesmo.»

As duas últimas defesas foram por instinto e o guarda-redes revela que só teve mesmo tempo para usar os seus reflexos: «A primeira bola, quando o Pardo remata, consegui fixá-la no momento da batida, depois vejo novamente que a bola sobra para ele e eu estou dentro da baliza. Precisava de colocar o corpo fora da linha para fazer a defesa fora da baliza. Na terceira quando vejo novamente a bola já está em cima e só tive tempo para pular.»

Apesar da situação desfavorável, Adriano Facchini revela que acreditou sempre num bom resultado: «Naquele momento tínhamos de fechar-nos ao máximo com duas linhas de quatro e tentar adiar ao máximo o golo. Quando teve o livre, e o mister cobra muito em relação às bolas paradas, acreditei sim que podíamos surpreender. Era muito difícil num momento daqueles conseguir segurar o Braga e nós conseguimos.»

«Quero continuar este bom início de época»

Preponderante nos dois jogos já disputados em Barcelos, em que o Gil Vicente pode agradecer ao seu guardião os pontos alcançados, Adriano quer manter o bom momento de forma: «Quero continuar este bom início de época e continuar o trabalho que venho fazendo ao longo destas três épocas na primeira liga. Sofrer o mínimo possível de golos para poder valorizar o meu trabalho e o daqueles que trabalham comigo.»

O FC Porto é o próximo adversário e o guarda-redes brasileiro que vai para a quinta época em Portugal não esmorece a ambição: «O Porto é o campeão nacional, é o favorito para este jogo. Respeitamos o Porto como respeitamos todas as equipas, mas não temos medo a ninguém. Temos a consciência de que temos de ser muito fortes e muito organizados para poder fazer um bom jogo sempre com o pensamento em somar pontos.»

O jogador diz que os objectivos do Gil Vicente passam por conseguir a manutenção e pensar jogo a jogo. «Continuar cada jogo a buscar o máximo possível de pontos e no final somar tudo aquilo que conseguimos para ver o que acontece. Somados os pontos para a manutenção tudo bem, e não pensamos noutra coisa a não ser jogo a jogo», referiu Adriano Facchini ao Maisfutebol.