As declarações de Fry foram prestadas no encontro da associação das equipas de Fórmula 1, Fota, onde foram discutidas novas medidas para o futuro do escalão. Fry prometeu «mais novidades para breve», mas avançou que isto só foi possível devido «à redução de custos para os próximos dois ou três anos, e também ao apoio das outras equipas».

Ainda sem nome, nem pilotos, ou donos conhecidos, a equipa estreará o novo carro (de motor Mercedes) em Silverstone, na sexta-feira. A especulação em torno de quem guiará os carros da Honda está animada, falando-se de Rubens Barrichelo, Jenson Button e Bruno Senna, sobrinho de Ayrton.

A BBC Sports avança a confirmação do piloto inglês num dos volantes e aponta o brasileiro como dono do segundo carro, mas Senna diz que ainda negoceia com a marca. A Honda terá agora que acelerar a pré-época, de forma a estar competitiva nos testes de Barcelona, a meio do mês.