O jogador brasileiro explica ao Maisfutebol que teve uma bisavó com ligações ao país. Em 2007, o então seleccionador descobriu o passado de André e avançou para a contratação do reforço. «Recebi um convite de um grupo de empresários para me naturalizar e disputar as eliminatórias para o Mundial. O seleccionador da altura, Jordan de Freitas, de Belo Horizonte, conhecia-me e convidou-me», refere. Na altura, pouco conhecia sobre o país africano, dividido em três regiões.

A Guiné Equatorial recebeu André Neles e o antigo jogador encarnado ficou a conhecer um extremo com pouco crédito no actual plantel do Benfica. «Joguei com o Javier Balboa no ano passado. É um grande jogador, penso que o Benfica fez uma bela contratação. Ele tem valor para jogar no Benfica, é um grande jogador, tem potencial. Mas a sua qualidade só se vai desenvolver se ele tiver uma sequência de jogos. É preciso não esquecer que ele vem do Real Madrid. É um grande amigo e um grande jogador», sintetiza.

Javier Balboa parece desmoralizado mas o companheiro de selecção pede apenas uma oportunidade para o antigo jogador do Real Madrid. «Na selecção, ele dá sempre o máximo, quer nos treinos, quer nos jogos. Fez grandes jogos na selecção. Mas em Portugal é complicado, no Benfica sobretudo. Se o treinador não gosta, é difícil mostrar o valor que ele tem. Se calhar, está acontecendo com o Balboa o que aconteceu comigo. Ele precisa ter a sequência de jogos que eu não tive», finaliza André.