Maradona, Romário, Chilavert e Valderrama, foram alguns dos astros que marcaram presença neste congresso, que também contou com vários dirigentes de clubes do sul da América.

Um dos pontos mais falados neste congresso foi a repartição do dinheiro recebido pelos canais televisivos e sponsors, que segundo os presentes é mal feita.

O objetivo passa também por aumentar assim as receitas dos clubes. Calendários, feriados, salários e estádios foram também discutidos e um sonho de todos ficou a pairar no ar: que o chefe máximo do organismo seja um ex-jogador de futebol, um pouco na linha do que se passa na UEFA com Platini.

«Eles fumam os melhores cigarros, bebem o melhor champanhe, comem o melhor caviar, enquanto nós jogamos às 12», atirou Maradona referindo-se aos dirigentes sul-americanos. Outro dos intervenientes, o brasileiro Romário, atual deputado federal do Rio de Janeiro, pediu «castigo» para os dirigentes que têm má conduta: «Estamos aqui para pôr ao descoberto quem deveria pagar e quem deveria ir para a prisão».

A reunião decorreu na sede do Corinthians e foi convocada pelo presidente do clube, Andrés Sánchez, que tem sido apontado como um dos candidatos a sentar-se no banco da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).