«Equivoquei-me, estou arrependido», disse o jogador do Wilstermann. Mas equivocou-se como? Deu um pontapé no árbitro Joaquín Antequera, num jogo do campeonato da Bolívia, já depois de ter sido expulso. Foi engano? Não era para acertar? O Tribunal de Justiça Desportiva boliviano não deve ter acreditado nele.

Francisco Esteche ficou desgostoso. «Tinha a esperança que não me fossem suspender assim, estou bastante magoado com o que se passou», atira o médio. Magoado, ele? E o árbitro?

Tudo aconteceu a 15 de Março, num jogo entre o Wilstermann e o Universitário (2-2), no tal país onde a Argentina sofreu seis golos e ficou a queixar-se da falta de oxigénio. Talvez esteja aí a justificação.

Para aqueles que poderiam acreditar na tese do equívoco, fica apenas mais um pormenor: não foi um pontapé no árbitro, foram dois! Terá sido mesmo por engano, Esteche? Os responsáveis do seu clube não foram na cantiga e já avisaram que o contrato será rescindido. «Equivoquei-me». Ou não.