«Quero que a Argentina crie novos heróis, para que não tenhamos de ficar a olhar para o que se passou há 24 anos», disse «El Pibe», na antevisão do encontro particular com a Alemanha, marcado para quarta-feira. «Quero coisas novas. Não quero que continuemos a ver a mão de Maradona ou os golos do Kempes. Isso é história velha», acrescentou.

Desferindo novos ataques aos jornalistas, Maradona mostrou-se agradado com o pessimismo que atribui à imprensa do seu país. «Pensam que vamos ficar em último, e isso dá-nos uma força terrível. Em 1986 também foi assim, e ficámos em primeiro. Essa é a mensagem dos jogadores», disse o técnico.

A dois dias do último compromisso antes de escolher os 23 convocados, Maradona assumiu ter 80 por cento da lista escolhida. O benfiquista Di María deve ter lugar assegurado, a menos que surja algum problema físico. O jogador do Benfica deve ser titular no encontro com a Alemanha, marcado para Munique.