«Via os jogos que eram transmitidos na Rússia sempre que possível. Mas, para dizer a verdade, pareciam mais fáceis na televisão. Só agora compreendo o quanto é dinâmico e difícil o futebol inglês», disse o avançado de 27 anos, ao site dos gunners.

Arshavin já jogou três vezes pela nova equipa, mas a veia goleadora que o colocou na ribalta ainda não deu nas vistas. «Gostaria de marcar o mais cedo possível. Todos esperavam que o fizesse no primeiro jogo, mas isso nunca acontece, especialmente comigo. Nada nunca foi fácil e imediato para mim, por isso, o Arsenal não é excepção. Paciência e muito trabalho é o que preciso neste momento», reconheceu.

Na última ronda, no terreno do West Bromwich Albion, o atacante russo jogou os 90 minutos e assistiu Touré, na marcação de livre. O Arsenal venceu 3-1 e terminou com uma série de quatro nulos consecutivos.