dragões

O Atlético de Madrid visitou o Porto depois de um empate feliz no Vicente Calderón. Na segunda mão, a disputar em Portugal, era obrigatório haver golos do Atlético, caso pretendessem passar a eliminatória. Abel Resino sabia-o, mas também sabia que as coisas se complicavam caso sofresse golos e apostou na contenção, deixando Diego Forlán no banco.

O número 10 do Atlético, parceiro de ataque de Forlán, é que não gostou dessa ideia e não escondeu o mal-estar. «Era impossível [marcar], tão só no ataque era impossível. O Forlán deveria jogar sempre. É um avançado que combina bem comigo», disse Aguero na zona mista do Dragão.

O internacional argentino admitiu a desilusão por a equipa não ter tentado mais e remeteu a culpa para o treinador. «Tentámos apenas segurar o resultado. Não me meto no alinhamento [da equipa] porque é assunto do treinador, mas Diego [Forlán] é uma referência dentro da equipa. Quando não estamos de acordo com o treinador não podemos fazer nada, é ele que faz a equipa, nós não temos culpa.»

«Hoje estive sozinho a lutar contra três defesas. Era impossível, repito. A defesa do F.C. Porto é muito boa», reforçou o avançado.

Aguero está desgostoso, porque «cair na Champions é sempre triste, é horrível», mas diz-se pronto para outras lutas, «há que esquecer, levantar a cabeça e ganhar o próximo jogo, no domingo», afirmou a estrela do Atlético de Madrid.