O pedido de registo do clube espanhol foi entregue ao Instituto Equatoriano de Propriedade Intelectual, mas o Barcelona de Guayaquil já apresentou recurso.«Contratámos um especialista em marcas e registos. Vamos defender a história do Barcelona Sporting Club. Não deixaremos que afetem a nossa instituição», declarou Antonio Noboa, presidente do Barcelona de Guayaquil.

A regra da propriedade intelectual é muito antiga, e foi registada na Convenção de Paris de 1885. A intenção era evitar o surgimento de marcas que confundissem, através da semelhança de logótipos e nomes, o consumidor ou cliente. Tal regra determina que o primeiro registado tem a razão. No entanto, não exclui a possibilidade de haver a semelhança, quando a marca original não está registada no país onde a cópia foi inscrita.

É neste ponto que o Barcelona de Guayaquil sustenta o seu argumento de defesa. O clube equatoriano já usa o nome e um escudo semelhante ao do homónimo espanhol desde a sua fundação, feita justamente por imigrantes catalães em 1925. A diferença é que a inscrição é «BSC», de Barcelona Sporting Club. O Barcelona original, da Espanha, foi fundado em 1899 e possui em seu escudo as iniciais «FCB», de Fútbol Club Barcelona.