«Pep devia ter um ordenado maior. À margem de Mourinho e Capello, que estão fora de mercado, Guardiola demonstrou que é o melhor e, por isso, deveria ser aquele que mais cobra depois dos outros dois», atirou Oliver, citado pelo «As».

O dirigente entende que o Barça é o clube que mais informação revela sobre o seu funcionamento. «A organização é como um circuito eléctrico, que precisa de fusíveis. Quando o circuito aquece de mais salta um fusível. Não há um trabalho que seja divertido para sempre», explicou, revelando que as contratações no início do ano nem sequer precisaram de aval do departamento financeiro, de tão oleado que está o entendimento entre todos.