Saulo

Dois remates, dois golos a abrir o jogo e a oferecer consistência à arrojada estratégia de Pacheco. Dos três avançados que iniciaram o jogo, Saulo foi sempre o mais móvel, colaborando nas acções defensivas, na circulação de bola a meio-campo e, mesmo assim, foi o que mais se destacou na área, com os referidos dois golos.

Silas e Zé Pedro

Jogo de enorme responsabilidade para os experientes jogadores do Belém que ficaram encarregues de controlar e gerir um meio-campo muito debilitado que contou apenas com mais Diakité, mais entregue a tarefas defensivas. Tudo assentava na capacidade destes dois jogadores saberem gerir os tempos, a posse de bola e fazer as muitas compensações para manter a equipa unida. Nunca falharam, daí o sucesso da estratégia que Pacheco desenhou para esta partida.

Mano

Mais um bom jogo do jovem médio, esta tarde, adaptado ao lado direito da defesa. Deu poucos espaços a Bruno Gama e, sempre que pôde, subiu no terreno para reforçar o meio-campo. Destaque ainda para, já na segunda parte, uma assistência perfeita que Marcelo não conseguiu transformar em golo.

Bruno Gama

O mais inconformado dos jogadores do Vitória, mas sem apoio suficiente para valorizar a sua prestação. Tentou furar vezes sem conta a muralha defensiva dos «azuis», mas depois raramente encontrou apoio para dar continuidade ao seu esforço. Destaque para um lance em que passou dois defesas em drible, mas depois perdeu equilíbrio e acabou por ver um cartão amarelo por suposta simulação.