O Belenenses continua a marcar passo no campeonato, ao empatar 2-2 na recepção ao Marítimo, depois de estar a vencer por 2-0, e com mais um jogador em campo. Desde a segunda jornada que os azuis não ganham, naquela que é a única vitória em 11 jogos. Já o Marítimo de Van der Gaag ultrapassou o Sporting no quinto lugar.
A ausência de oito jogadores devido a lesão forçou João Carlos Pereira a convocar todos os disponíveis e a apostar em Pelé e André Almeida de início no meio-campo, para suprir as ausências de Zé Pedro, lesionado, e Celestino, no banco, por estar de luto pela morte do pai. O treinador pediu paciência aos adeptos e apesar de um foco aqui e ali de incómodo, não foi pelas críticas que o Belenenses não conseguiu melhor sorte. Já o Marítimo, sem Roberto Sousa castigado, teve em Olberdam o seu substituto. Djalma também regressou à equipa, após compromissos junto da selecção de Angola.
Duas bolas à barra e um golo anulado marcaram a primeira parte, com o Marítimo claramente na frente das intenções. Aos 13 minutos, após canto de Bruno, Baba tocou de cabeça contra a barra, e o mesmo sucederia aos 21, desta feita com o capitão a acertar no ferro, na marcação de um livre.
Antes do apito, Diakité marcou para o Belenenses, após canto de Mano, mas o árbitro considerou que o maliano se apoiou em Bruno para o fazer.
O segundo tempo trouxe um Belenenses com iniciativa e, com o apoio dos adeptos, entrou praticamente a rematar, por intermédio de Lima, um prenúncio do que se seguiria. Logo no primeiro minuto, o avançado brasileiro entrou com tudo na área e obrigou Peçanha à primeira defesa da tarde. O mesmo Lima, cinco minutos depois, ganhou a Paulo Jorge na direita, mas acabou por atirar por cima da baliza. Não desistiu e na terceira investida da segunda parte acabou mesmo derrubado por Peçanha na pequena área. Hugo Miguel assinalou grande penalidade, o guarda-redes foi expulso e Marcinho foi sacrificado para a entrada de Marcelo. Lima bateu o penalty e colocou o Belenenses na frente aos 55 minutos.
Os azuis cresceram e, quando começavam a gerir a vantagem, Lima ganhou uma bola a Alonso, correu mais de 30 metros e bateu Marcelo com um remate em força, aos 69 minutos.
O Marítimo, mesmo reduzido a dez, não se deixou abalar pelo marcador e continuou a criar perigo, quase sempre por Baba e Manu. Nelson em destaque neste período, evitando o pior a remates de Baba e Kléber, que entrara aos 67 para o lugar de Olberdam.
Aos 78 minutos, o Marítimo reduziu, com Manu a combinar com Kléber já no interior da área e a bater Nélson com um remate na passada. A dois do fim, o empate, com Manu a bisar. Na sequência de um livre sobre a esquerda, marcado por Bruno, há um desvio de cabeça junto ao primeiro poste e a bola sobrou para Manu, que empurrou para o seu segundo golo.
Em cima do apito, Lima teve nos pés o golo da vitória, mas falhou por centímetros o «hat-trick». O empate acaba por ser justo, pela recuperação do Marítimo que, com menos dez, conseguiu recuperar no marcador frente a um Belenenses com muitas baixas e em permanente dificuldade.