Petit, treinador do Belenenses, em conferência de imprensa, depois do empate com o Rio Ave (0-0), no Estádio Nacional, no jogo que abriu a 7.ª jornada da Liga:

[Análise ao jogo]

- Foi um empate, mas podíamos sair daqui com outro resultado. No outro lado esteve uma equipa com qualidade, mas foi uma primeira parte com muitas oportunidades. Foi um jogo bom, com terreno pesado e difícil para as duas equipas. A segunda parte foi completamente diferente. Disse aos jogadores que se conseguissem manter o ritmo iam aparecer mais oportunidades, elas apareceram, mas não conseguimos marcar. Um empate injusto da nossa parte, tivemos várias oportunidades para marcar, mas também podíamos ter sofrido a fechar o jogo.

[A defesa está bem, mas continuam a faltar golos]
- Temos de equilibrar o processo defensivo com o processo ofensivo. Tem faltado golos, mas estamos a melhorar no último terço. Conseguimos jogar com mais intensidade, tivemos diversas situações para fazer.

[Estreia de Afonso Sousa?]

- É um miúdo que tem trabalhado bem, está numa dinâmica completamente diferente, numa Liga com mais intensidade. Hoje fez um bom jogo, deu intensidade à equipa. Acabámos o jogo com três miúdos. Temos de dar tempo a estes jovens, incluindo-os nestas dinâmicas, para eles começarem a compreender a nossa forma de jogar.

[Fez quatro alterações na equipa, o Cafú só fez dois treinos e foi titular]

- O Cafú que estava em casa, mas estava a trabalhar. Com o jogo acabar sentiu algumas dificuldades, mas é um jogador muito rápido, é um jogador experiente, na zona central consegue corrigir desequilíbrios, fecha a direita. Os que entraram são jogadores que têm trabalhado bem, alterámos alguns jogadores, para conseguirmos dinâmicas diferentes. Estou satisfeito com o comportamento de todos. Lembrar que temos um plantel jovem. Os jogadores que têm entrado, têm cumprido, agora temos quinze dias para melhorar o processo ofensivo.

[A falta de golos pode ser explicada com ansiedade?]

-  Não, porque eu não deixo que haja ansiedade. Temos de dar confiança aos nossos jogadores. Ficava preocupado era se não tivéssemos oportunidades.  Mas elas estão lá. Agora é trabalho e esperar que no próximo jogo a bola vá entrar. O futebol vive de golos, temos de continuar a trabalhar. Trabalhamos muito a finalização, falta acreditar que a bola vai mesmo entrar e tentar melhorar.

[Paragem vai ser importante para trabalhar o processo ofensivo?]
- Não gosto muito de paragens. Às vezes há jogadores lesionados, ou agora com covid, mas é preciso trabalhar. Vamos tentar dar continuidade nesta pausa, a ver se alguns jogadores podem jogar nos sub-23 para manterem o ritmo. Vamos voltar com um jogo para a Taça e queremos ver se voltamos com um bom resultado.