Para se chegar aos 24 há algumas regras. No mínimo, um clube pode escolher 17, no máximo 25. A variação depende da quantidade de jogadores formados no clube e no país (máximo 4), independentemente da nacionalidade.

Um jogador considerado formado no clube tem de passar pelo menos três épocas completas (irrelevante se são consecutivas) nesse mesmo emblema entre os 15 e os 21 anos.

A regra para um jogador formado no país é basicamente a mesma: tem de ter três épocas completas, em Portugal, neste caso, entre os 15 e os 21 anos. Oblak é exemplo: chegou com 17 anos e jogou três épocas cá, divididas por Beira Mar, Olhanense, U. Leiria e Rio Ave.

As possíveis combinações para inscrever jogadores na Liga dos Campeões (pág. 86)

Assim, para atingir aquele número, o Benfica tem obrigatoriamente de inscrever Paulo Lopes, Sílvio, André Gomes (pode ir na Lista B), Oblak, Steven Vitória, Ruben Amorim e André Almeida.

Os três primeiros são formados no clube, os restantes em Portugal o que permite chegar aos 24. Numa comparação, o FC Porto tem quatro futebolistas formados no país: Josué, Licá, Ricardo e Varela.

Por isso, Paulo Fonseca deixou Kelvin e Carlos Eduardo fora dos planos, embora, tal como Jorge Jesus, possa vir a inscrever jogadores numa lista B (apenas para futebolistas nascidos após 1 de janeiro de 1992 e que tenham dois anos consecutivos no emblema em causa).

Assim, o treinador do Benfica enfrente o mesmo dilema do homólogo portista. Quem entra na lista para a Liga dos Campeões?

Salvio deve ser preterido pela lesão sofrida em Alvalade. O argentino pode vir a ser registado após a fase de grupos, já em 2014, em substituição de um colega caso o treinador entenda.

Mas ainda sobra muita gente. Mitrovic não tem sido opção, foi apontado a Inglaterra antes de o mercado fechar e pode ser um dos preteridos. Com a reintegração de Cardozo, Funes Mori pode ser outro ausente da Champions, uma vez que Jesus deve manter a aposta em Lima e Rodrigo, mais o Tacuara.

Assim, o técnico poderá ter de optar em função da polivalência. Tem três guarda-redes e aí não há problema pelas regras das inscrições.

No meio-campo não parece haver muito espaço para mexidas. Mesmo com André Gomes incluído, o técnico não deve abdicar de Matic, Enzo Pérez e Ruben Amorim. Fejsa foi o último a chegar, mas esta é uma zona em que o Benfica reforçou por necessidade e o sérvio deve entrar nas contas.

Gaitán, Ola John, Sulejmani e Markovic podem fazer as alas. Aqui Jesus tem, de facto, por onde escolher, mas a lesão de Salvio deixa o plantel um pouco mais curto nesse aspeto.

Sobram, então, as laterais. Sílvio foi operado, mas o Benfica pode inscrevê-lo sem problemas porque não ocupa espaço nas opções. É um dos futebolistas formado no clube. Maxi Pereira é intocável e chegou Siqueira no último dia. Se o lateral-esquerdo que veio do Granada foi inscrito na Liga dos Campeões a tempo, então a fava pode sair a... Cortez, já que André Almeida, que também não ocupa a vaga de ninguém, pode fazer a lateral direita e a esquerda.

O exercício é simples assim: da lista seguinte, corte quatro:

Artur, Maxi Pereira, Jardel, Garay, Luisão, Mitrovic, Cortez, Siqueira, Salvio , Gaitán, Ola John, Sulejmani, Matic, Fejsa, Enzo Pérez, Djuricic, Markovic, Rodrigo, Lima, Cardozo e Funes Mori