A Benfica SAD deu conta destas movimentações, realizadas a 19 de Março, à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários. Uma alteração que representa o reforço da participação de Luís Filipe Vieira na SAD em detrimento da Sportinveste, empresa de Joaquim Oliveira, que fica sem qualquer representação na estrutura accionista do clube da Luz.

Em causa estão 612.283 acções escriturais, no valor unitário de 5 euros, correspondentes a um total de 3.061.415 de euros, que o Benfica terá de pagar em numerário até ao final do presente ano.

Fica assim cumprido o acordo que data de Maio de 2007 em que Luís Filipe Vieira emprestou de forma gratuita as acções para que fosse obtido o acordo com a Olivedesportos (também de Joaquim Oliveira), e assim ultrapassar um litígio sobre direitos televisivos. A dívida em causa acabou, assim, por ser saldada com as acções em questão.

O presidente do Benfica recusou ser renumerado pelo empréstimo, ficando apenas expresso que receberia de volta as acções antes do final do seu mandato.