O jogo da Taça da Liga com o Nacional da Madeira terá sido a gota de água que levou o dirigente encarnado a avançar com o protesto, mas na carta dirigida a Joaquim Oliveira há referências a mais três jogos. Luís Filipe Vieira começa por recordar o golo de Cardozo frente ao Belenenses, considerando que a repetição exibida pela Sport Tv cria a ilusão de que o avançado parte de posição irregular no momento em que Saviola lhe passa a bola. Um lance que para o presidente do Benfica considera estar longe de ser provado.

A carta prossegue com críticas aos comentários de Pacheco, antigo jogador do clube e um dos mais visados nos reparos do Benfica, no jogo com Olhanense. Segue-se o polémico jogo com o F.C. Porto, na Luz, que merece uma análise mais detalhada do presidente do Benfica, com uma contagem às repetições dos lances duvidosos que, segundo Vieira, resultam num saldo desfavorável ao clube da Luz. Além das repetições, Luís Filipe Vieira faz acompanhar a carta com citações de jornais.

Mas o jogo que motivou este protesto foi o jogo com o Nacional para a Taça da Liga. Em causa está um golo anulado ao Nacional por alegado fora-de-jogo. Vieira não defende a ilegalidade do lance, mas sim o ângulo e o momento escolhidos para a colocação da linha virtual. O presidente do Benfica diz ainda que a jogada é precedida de um corte com a mão de Felipe Lopes. Segundo adianta ainda o «Diário Económico», o presidente despede-se de Oliveira com «amizade». O «Diário Económico» procurou contactar Joaquim Oliveira, mas o presidente da Sportinvest não esteve disponível. O Benfica também optou por não comentar, enquanto a Sport Tv revelou desconhecer a existência da referida carta.

O actual contrato do Benfica com a Sport Tv, de cinco anos, mas o canal desportivo tem direito de preferência, isto é, caso o Benfica receba uma proposta vantajosa, a empresa da Sportinvest terá sempre a escolha desde que iguale a oferta. Mas num cenário de rotura, o clube, no final do actual contrato, pode passar a transmitir os respectivos jogos no próprio canal do clube. Essa será, com certeza, um dos argumentos a ter em conta nas negociações para um eventual novo contrato.

O Maisfutebol procurou saber mais pormenores junto do Benfica que se limitou a acrescentar que a notícia publicada pelo «Diário Económico» «tem uma forte base de sustentação», sem fazer mais comentários.