Encarar um jogo europeu sem a dupla de centrais habitual não é uma situação nova para Jorge Jesus. Há cerca de um ano o treinador do Benfica passou por algo idêntico, quando visitou Stamford Bridge para a segunda mão dos quartos de final da Liga dos Campeões.

Miguel Vítor e Roderick começaram cedo a lidar com a pressão europeia

Mas a 4 de abril de 2012 existia uma agravante: o Benfica não tinha qualquer central de raiz! Luisão, Garay, Jardel e Miguel Vítor estavam lesionados. O capitão ainda viajou para Londres, mas a dupla de centrais acabou por ser formada por Javi García e Emerson. O espanhol e o brasileiro estiveram em bom plano, mas o Benfica perdeu por duas bolas a uma e foi eliminado das provas europeias (na Luz tinha perdido por um a zero).

Desta vez Jesus está privado da habitual dupla (Luisão e Garay), mas tem três centrais na convocatória: Jardel, Miguel Vítor e Roderick.

Paulo Madeira, antigo central encarnado, diz que a «ausência de última hora do Garay pode pesar». «Para um treinador não é bom. Mesmo quando falta um é complicado, embora o Benfica já tenha essa experiência este ano, quando o Luisão teve castigado. E aí o Jardel ocupou o lugar muito bem», recorda o ex-jogador, contactado pelo Maisfutebol.

«As rotinas não são as mesmas. Nem para os laterais é igual. O conhecimento um dos outros não é o mesmo. Vão ter de estar concentrados», acrescenta Paulo Madeira, que vai assistir ao jogo em Bordéus.

A previsão aponta para Roderick, mas a aposta pessoal é outra

O antigo central do Benfica acredita que Roderick será o eleito de Jorge Jesus. «Uma equipa grande tem sempre quatro centrais, mas o Benfica só tem utilizado três. O Miguel Vítor tem jogado pouco. Nem na equipa B andava a jogar, só recentemente é que começou. O Roderick jogou na primeira mão, embora como médio defensivo. Mas para mim ele é central», sustenta ao nosso jornal.

A escolha de Paulo Madeira seria outra, porém: «Não sou treinador do Benfica, mas a opinião de adepto é que deveria jogar o Jardel e o Matic. É um jogador que se tem vindo a revelar, que tem sido importantíssimo, que tem mostrado a sua qualidade. E este é um jogo importantíssimo. Não se trata de falta de valor do Miguel Vítor ou do Roderick, mas o Matic está mais habituado a estes ambientes.»