Aimar e Carlos Martins, juntos, jogaram menos tempo esta época do que Izmailov, um futebolista sempre referenciado como alguém que não suporta ciclos prolongados de competição.

Os dois médios do Benfica estiveram em campo, até agora, apenas 348 minutos. O máximo possível era 1800 minutos. No Sporting, Izmailov competiu 461 minutos, em três oportunidades na Liga Europa, uma na Taça de Portugal e seis na Liga portuguesa. Ou seja, 900 minutos.

No caso de Aimar, sempre que esteve disponível fisicamente, jogou. Mas a partir do banco, como suplente utilizado. Quatro vezes na Liga, uma na Liga dos Campeões, frente ao Barcelona. No total, apenas 183 minutos. Recebeu 13 pontos dos jornalistas do Maisfutebol em serviço no campeonato.

Carlos Martins, apesar da excelente pré-época, parece não ser tão importante para Jorge Jesus. Na Liga foi uma vez titular, entrou três vezes a partir do banco e em duas ocasiões ficou sentado ao lado do treinador (11 pontos do Maisfutebol). Na Liga dos Campeões, apenas 45 minutos. No total das competições, 165 minutos.

No Sporting, sempre que esteve disponível, Izmailov jogou de início. Chegou ao fim em três jogos, foi substituído em outros tantos. No total, quatro partidas na Liga (13 pontos Maisfutebol) e 304 minutos. Mais dois jogos na Liga Europa (157 minutos).

Esta sexta-feira, Jorge Jesus lamentou a ausência de Luisão, que valorizou mais do que as saídas de Javi Garcia e Witsel. Mas na verdade, as lesões de Aimar e Carlos Martins têm sido uma limitaçãopelo menos tão importante.