O treinador do Benfica, Rui Vitória, em declarações na sala de imprensa do Estádio da Luz após o empate (3-3) com o Estoril, na segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal e que coloca os encarnados na final do Jamor:

«Sofrer três golos? É evidente que é algo que não gostamos. O primeiro é uma coisa que acontece, os outros são lances que temos capacidades para resolver. Os jogos têm isto, por vezes. Não queremos que aconteça e acontece. Aquele início de segunda parte não pode acontecer numa equipa como a nossa. O Estoril bateu-se muito bem. Tivemos alguns momentos bons em que não concretizámos e nos maus fomos penalizados. Há aqui faltas de rotinas também e alguns riscos que temos de correr.

Se corri demasiados? Já expliquei, não os mudei [aos jogadores] por poupanças, até já fui rotulado de não poupar. O Nelson Semedo está carregado de jogos, o Pizzi está carregado de jogos, o Luisão e o Lindelof… o Kalaica esteve na seleção, o Eliseu está limitado, o Salvio tem uma lesão num pé, o Ederson… Se calhar podíamos jogar com Luisão e Lindelof, mas temos jogos até final do campeonato e não podemos correr riscos em jogar com apenas uma dupla de centrais.

É anormal tanta lesão? A que se deve? São coisas que posteriormente devem ser analisadas. Nunca conseguimos ter toda a gente disponível, mas há razões várias. Há vários tipos de lesões, foi um ano extremamente atípico. Vamos continuar a resolver as situações. Houve uma diferença grande no que tem sido normal. Domingo irão estar mais jogadores disponíveis.

[Apesar das alterações, o Benfica lidera Liga, havia hipótese de haver menos sofrimento?]

Havia. Com a dinâmica criada estávamos a criar situações de procura de espaços na frente. Tivemos algumas bolas em que temos de definir melhor. O jogo a partir daí acaba por fugir ao controlo das duas equipas. Fizemos coisas bem feitas, o Estoril teve ocasiões, mas nós tivemos várias. Fica um jogo de Taça.