O treinador do Benfica, Rui Vitória, em declarações na sala de imprensa do Estádio da Luz após o empate (3-3) com o Estoril, na segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal e que coloca os encarnados na final do Jamor:

«Um empate num jogo de Taça, um 3-3 que qualquer adepto gosta de ver, mas que nós treinadores não. Foi um jogo em que começámos bem, com dinâmica muito boa na circulação, nos movimentos ofensivos e a criar problemas. Ao fazer o golo, o Estoril acredita. Estavam a 90 minutos de poder chegar ao Jamor e são oportunidades de chegar lá que acontecem uma vez na vida. Ficar a ganhar anima uma equipa. Fomos à procura e empatámos. Depois, na segunda parte, não pode acontecer [sofrer um golo logo na primeira jogada] e o jogo entrou em alternância. Os jogadores tiveram de adaptar-se constantemente ao que o jogo ia pedindo. Mas não chegamos ao Jamor fruto apenas deste jogo. Qualquer equipa gostava de estar nesta e em qualquer final. Obviamente, queríamos ganhar o jogo.

Poupanças faço na minha vida, não com os jogadores. Quisemos potenciar os jogadores, houve mazelas e condicionalismos que afetaram a constituição da equipa, como o próprio Jonas. Acreditamos muito nos jogadores que temos, depois sabemos que corremos alguns riscos porque há um ou outro que não está com o ritmo adequado.»