Gabriel confirmou estar disponível para ser chamado à Seleção Nacional, a exemplo do compatriota Dyego Sousa, avançado do Sp. Braga que entrou nos planos de Fernando Santos para os jogos com a Ucrânia e a Sérvia.

«Vou fazer o meu melhor, como sempre fiz. Essa convocatória seria uma coisa enorme. Sou profissional e vou estar aqui a fazer o meu melhor: se puder ser com Portugal, que seja. Vou estar de braços abertos e com o coração inteiro», disse em declarações aos jornalistas à margem de uma visita ao Hospital da Luz, em Lisboa.

Nesse sentido, o médio brasileiro falou ainda sobre as ligações a Portugal. «Vim muito cedo para a Europa. Os meus avós eram portugueses e sempre tive uma relação com Portugal. Mas não quero forçar nada. Se isso acontecer, vou estar muito feliz e acredito que a minha família também. Desde cedo que tive estas duas opções [Brasil e Portugal] e para mim representar uma seleção é o auge. Não sou o primeiro caso de estar disponível para duas seleções», completou.