Saviola
Marcou golos nos últimos sete desafios pelos encarnados, tendo este sido importante no desbravar de caminhos para a baliza de Peçanha. Não se pode dizer que tenha sido um daqueles jogos brilhantes, mas foi essencial no abrir espaços para os colegas e a goleada.
Cardozo
Voltou aos golos, após jejum desde 6 de Dezembro. Marcou o golo de penalty, que ele próprio construiu e foi parado pelo braço de Robson. Foi importante a sua presença na área contrária, obrigando aos centrais adversários a uma redobrada atenção.
Di María
Foi a sua irreverência que marcou alguns jogadores do Marítimo e, se calhar, o próprio jogo. Dos seus pés nasceram sempre algumas jogadas bem delineadas. Sempre muito activo, sempre muito dinâmico.
David Luiz
Vinha de uma lesão, mas isso parece que nada lhe importunou. Meteu o pé com a mesma intensidade, manteve a mesma dinâmica defensiva. Muito seguro a defender. Nem o desvio para o poste da sua baliza o desestabilizou.

Peçanha
Foi herói numa partida complicada e ingrata para si. Teve quase 20 minutos sem qualquer tipo de trabalho, mas 70 minutos de sacrifício dobrado. Fez magníficas defesas e esteve atento. Ser guarda-redes nestas condições.
Olberdam
O futebol é para jogar com os pés...não com a língua. O que se passou, só ele e o árbitro sabem, mas é bem verdade que poderá ser ele o maior causador do descalabro dos verde-rubros