Bruno Lage, treinador do Benfica, em declarações na flash interview da Sport TV após a derrota com o FC Porto por 3-1 para a meia-final da Taça da Liga:

[O que fez a diferença?]

«Marcar os golos fez a diferença. Como disse nos jogos de Guimarães, faz a diferença quem marca golos e foi isso que aconteceu. O FC Porto marcou três golos e contaram, nós marcámos mais golos e não contaram, mas faz parte do futebol.

Tivemos várias oportunidades em que podíamos ter construído outro resultado. A primeira parte foi equilibrada: o resultado certo penso que seria o 2-2. E uma segunda parte muito melhor da nossa parte. Controlámos na totalidade até ao momento em que arriscámos com dois avançados, o Félix por dentro e o Salvio bem aberto. Nos últimos 10/15 minutos era tentar chegar ao empate, não conseguimos e o FC Porto numa transição faz o 3-1 e mata o jogo.

Golo anulado? Não falei sobre o golo anulado ao intervalo. Não falar sobre o golo nem dos outros e sim do que é nosso: entrámos muito bem na segunda parte e criámos duas ou três oportunidades em que podíamos ter feito o empate e a partir daí estaríamos de volta ao jogo.»

[Riscos assumidos?]

«Começámos a sentir a nossa força, a estar por cima do jogo e o FC Porto a recolher. Passou do 4x4x2 para o 4x3x3 e a partir daí temos de arriscar. Sentimos que era o momento certo: eles estavam por baixo e eu senti que se marcássemos ganhávamos o jogo. Não marcámos, há que seguir em frente. Criámos oportunidades claríssimas, na frente do guarda-redes. Não conseguimos, parabéns ao FC Porto e a nós compete-nos continuar a trabalhar e a evoluir o nosso jogo.»

[Com que convicções sai deste jogo?]

«Que podíamos ter vencido o jogo. Acredito muito no que fizemos, principalmente na segunda parte. Há que assumir a nossa responsabilidade pelo jogo que queremos jogar, a coragem que os jogadores tiveram em jogar, nem sempre da forma que pretendemos, mas isso cria-se nos treinos. Se forem analisar os golos, perdemos bolas a tentar jogar o jogo que fizemos. E é esse o nosso caminho: tentar, errar e construir para evoluir o nosso jogo. Vamos ter uma semana para treinar e vai ser muito produtiva: temos tudo para crescer e disputar os jogos até ao fim como finais.»