«O facto de estar na pré-convocatória dá-me ainda mais motivação para acreditar e trabalhar ainda mais até ao dia em que o meu nome estiver lá», contou o jogador, em declarações à Agência Lusa.

Foram seleccionados cinco guarda-redes nesta primeira fase, casos ainda de Hilário (Chelsea), Ricardo (Bétis), Eduardo (Sp. Braga), Rui Patrício (Sporting) e Daniel Fernandes (Bochum), e a todos Beto reconheceu «qualidade» para assumir a baliza da equipa nacional.

No que respeita a si, rejeitou a ideia que Carlos Queiroz tenha sido pressionado a convocá-lo, na sequência das exibições que tem realizado. «Já tinha recebido comentários muito favoráveis antes da convocatória. O seleccionador é uma pessoa íntegra e com forte personalidade. A pré-convocatória saiu da sua cabeça e de análises feitas por Brassard [treinador de guarda-redes da selecção], de que tenho conhecimento», esclareceu.

Quanto ao alegado interesse do F.C. Porto na sua contratação, Beto disse que só tem conhecimento daquilo que leu na comunicação social. «Até agora não me chegou nada de pessoas próximas, do Leixões ou do meu empresário», garantiu.

O guarda-redes integra uma lista de 38 pré-convocados para os encontros com a Suécia, a 28 de Março, de qualificação para o Mundial 2010, e a África do Sul, de preparação, três dias depois.