David Luiz, regressado ao eixo central, esteve muito acertado ao lado de Sidnei, tal como Ruben Amorim numa posição interior do meio-campo. Além destes, Quim, Jorge Ribeiro e Nuno Gomes, este mais pelo que lutou, merecem notas razoáveis. O júnior Pedro Eugénio, aposta para a lateral direita, integrou-se bem e apostou na raça e na simplicidade de processos. Os restantes parecem ter encarado a partida com algum distanciamento.

Javier Balboa, não fosse um excelente remate aos 54 minutos e um túnel bem medido a Gilberto, teria passado ao lado desta apresentação; Yebda andou em contenção de esforços e foi naturalmente substituído; Filipe Bastos, muito sobre a esquerda, mostrou bons pormenores mas de forma muito espaçada e Urreta, finalmente, terá sido o mais infeliz de todos. O jovem uruguaio apresenta óbvias dificuldades físicas e saiu aos 66 minutos com cãibras(!). Isto, num encontro disputado a um ritmo quase sempre baixo.

João Tomás e a arte do golo

O Boavista é que fez pela vida e aproveitou para vencer. Marcou pelo experiente João Tomás aos 28 minutos, num excelente lance, e revelou três ou quatro atletas de qualidade muito interessante. Além do ponta-de-lança, que continua a ter lugar em grande parte das equipas da primeira divisão, os médios Pedro Moreira e Bruno Monteiro merecem um olhar atento. Jovens, eficazes, bons de bola.

Sidnei, um extremo brasileiro tecnicamente evoluído, teve momentos excelentes mas parece algo egoísta; os experientes Jorge Silva e Rui Lima continuam a ser pedras basilares no conjunto de Rui Bento. Enfim, pelo que vimos hoje, o que custa a entender é o lugar ocupado pelo Boavista na Liga de Honra: o 14º posto parece pouco para uma matéria-prima muito razoável.

O jogo foi entretido, teve muitas oportunidades de golo para os dois lados e o empate até seria o desfecho mais justo. O Boavista foi melhor no primeiro tempo, o Benfica foi melhorando e até acabou a contenda a carregar sobre a área axadrezada. Nesta noite, porém, o mais importante estava longe de ser o resultado (ver link associado).

Ficha de jogo:

Estádio do Bessa, no Porto, cerca de 20 mil espectadores

Árbitro: Paulo Costa

BOAVISTA: Sérgio Leite (Pedro Trigueira, 46); Zâmbia, Bruno Pinheiro, Jorge Silva (François, 54) e Gilberto; Bruno Pinheiro, Pedro Moreira e Rui Lima; Sidnei (Nuno Soares, 77), João Tomás (Fábio, 87) e Adriano (Ivan Santos, 46).

Suplentes: Diogo Leite, Daniel Fernandes, Benvindo, Pedrosa, Baptista e Diogo Fernandes.

Treinador: Rui Bento

BENFICA: Quim; Pedro Eugénio, Sidnei, David Luiz e Jorge Ribeiro; Balboa, Ruben Amorim, Yebda (Rafael, 70) e Fellipe Bastos (Coelho, 86); Urreta (Adriano, 68) e Nuno Gomes.

Suplentes: Moreira e Ivanir.

Treinador: Quique Flores

Golos: João Tomás (28)