A Lusa informa que a direção dos axadrezados comunica que o PER foi aprovado «por maioria superior a 93 por cento do valor dos respetivos créditos», o que significa um perdão de cerca de 50 por cento do valor inicial e que será pago em 150 meses.

Para o Boavista, presidido por João Loureiro, o clube «ficará, atendendo ao valor do seu património, com uma forte situação líquida ativa, o que permite ter esperança no futuro» ainda que seja necessário «continuar a haver muita disciplina e rigor na gestão».

O Boavista joga o Campeonato Nacional de Seniores, mas tem prevista a reintegração na I Liga para a próxima época. Para isso precisa de preencher os pressupostos financeiros requisitados a qualquer emblema no futebol profissional.