Até tinha começado bem, os dois clubes tinham promovido uma acção de solidariedade que envolveu representantes das claques, a polícia e dirigentes, para apelar à boa vontade e amenizar a rivalidade entre os dois clubes.

No relvado, as coisas complicaram-se no início da segunda parte. Gilmar Iser, treinador do Juventude, entrou em campo para reclamar cartão vermelho para um jogador adversário e foi expulso. No meio da confusão, Argel também teve o mesmo destino. Mas o agora treinador, que ficou conhecido em Portugal pelo seu feitio intempestivo, foi mais relutante e foi precisa a intervenção da polícia para o convencer.

O jogo esteve interrompido seis minutos e, quando foi retomado, o Caxias levou a melhor. A equipa de Argel marcou dois golos nesse período, para garantir a vitória e a presença na segunda fase do campeonato gaúcho.