Após uma longa espera, Alex Telles concretizou um dos objetivos de carreira: chegar à seleção do Brasil. Contudo, o lateral do FC Porto poderia ter sido internacional por Itália, conforme o próprio admitiu.

«Passaporte italiano? Se dissesse que não esperava uma chamada da seleção italiana, estaria a mentir. Houve essa possibilidade, mas sempre sonhei com o Brasil. Era algo que procurava há algum tempo e concretizei um dos objetivos da minha carreira», confessou.

Algumas das figuras da «canarinha» passaram pelo Dragão no passado recente. São os casos de Danilo, Alex Sandro e Casemiro, sem contar com Militão, que se vai transferir para o Real Madrid no verão. Confrontado com esses dados, o futebolista de 26 anos limitou-se a elogiar a estrutura dos azuis e brancos.

«O FC Porto é um clube espetacular. Desde que cheguei, senti-me em casa. O Porto é uma cidade maravilhosa, não houve qualquer problema de adaptação. Qualquer jogador que jogou no FC Porto vai dizer que se sentiu em casa. É um clube que ajuda muita a família e que dá tranquilidade aos atletas. É um clube gigante e que te deixa visível aos olhos de todo o mundo. É um prazer vestir a camisola do FC Porto», esclareceu.

Alex Telles confessou que «ainda está no seu canto e um pouco tímido», mas garantiu que vai «que vai continuar a trabalhar da mesma forma», visto que o facto de ter sido selecionado por Tite significa «que está a fazer as coisas bem». A conferência de imprensa encerrou com uma questão acerca do golo que carimbou a passagem do FC Porto aos quartos de final da Liga dos Campeões.

«Um lateral também pode bater grandes penalidades. Juntamente com alguns colegas, fui um dos escolhidos pelo mister desde o ano passado. Tive a responsabilidade de bater e, não foi com 100% de tranquilidade, mas sabia o que tinha de fazer. Quando estás confiante, tudo sai naturalmente», concluiu.