Em entrevista ao Maisfutebol, Deane recorda a sua passagem por Lisboa, o trânsito caótico na Segunda Circular e a feira de vaidades na direcção encarnada. «Agora está melhor, parece-me», congratula-se.

«Fui muito feliz no Benfica, mas naquele tempo aquilo era como uma novela. Havia três dirigentes para fazer a mesma coisa, todos queriam dar nas vistas e falar. Mesmo assim, tenho muita pena de não ter ficado mais tempo», desabafa.

«Aposto no 2-0, Porto não é bom fora»

O Benfica contratou o avançado em Janeiro de 1998, por milhão e meio de euros. Dez meses depois, Brian Deane seguia para o Middlesbrough pelo triplo do valor. «Basicamente, os dirigentes disseram que tinha mesmo de ser, o Benfica tinha problemas financeiros e a proposta era muito boa. É uma das coisas que mais lamento na carreira, não ter ficado em Portugal mais tempo.»

«Não percebo, Nuno Gomes devia jogar»

O inglês celebrou o seu 42ª aniversário, enquanto revê o filme da sua carreira de jogador. Deane treina uma equipa da Universidade de Leeds, tira o curso de treinador e trabalha como consultor numa firma de advogados (Law Blacks), com vocação para a resolução de problemas legais de atletas.

Brian Deane terminou a carreira no seu país, depois de uma curta passagem pela Austrália. «Não gostei, já tinha 37 anos e faltava-me frescura física. Não tenho saudades. De Portugal tenho e muitas. Tenho de ir lá conhecer o novo Estádio da Luz. Só não tenho saudades da Segunda Circular. Um trânsito louco, os portugueses não saem da faixa da esquerda, é incrível», recorda, entre gargalhadas.

A estampa física do inglês impressionava. Formou uma dupla interessante com Nuno Gomes, abrindo inúmeros espaços para os golos do internacional luso. «Ele era um dos melhores avançados da Europa, nessa altura. Não percebo porque é que não joga mais, mesmo agora. Em Inglaterra, a experiência é mais aproveitada», salienta.

«Tenho mesmo saudades, acredite. Não fui para o Benfica terminar a carreira, acho que os adeptos perceberam isso. Dei tudo e queria ficar mais tempo. Lembro-me do jogo com o Sporting, em que marquei um golo, vencemos por 4-1 e podiam ter sido mais. Também marquei um golo ao Porto, ganhámos 3-0. Bons tempos», suspira Brian Deane, com ar saudosista.