Os treinadores de Rio Ave, Carlos Brito, e Nacional, Manuel Machado, em declarações na sala de imprensa após o encontro da 23ª jornada da liga, que os madeirenses venceram por 0-3:

Carlos Brito

«Numa análise fria, a equipa que nos ganhou um ponto foi o Trofense, mas não há intenção de esconder o que quer que seja. Não demos um passo atrás, mas marcámos passo e, nesta altura da Liga, é significativo. O resultado é pesado. O Rio Ave entrou bem, não permitiu que o Nacional se organizasse da forma que gostava de fazer. Mas não conseguimos marcar e, num canto, o Nacional faz golo e depois é sempre uma equipa perigosa quando está em vantagem. Mas o primeiro golo intranquilizou-nos e isso traz mais problemas. Entrámos bem na segunda parte, o Moutinho tem a oportunidade mais flagrante do jogo e estou em crer que, se marcasse, dávamos a volta.

«O Nacional faz 2-0 quando o Paiva tem uma defesa feita. A equipa quis marcar o 2-1 e só no último minuto denotou algum conformismo. Pelo menos o empate teria sido um mal menor. Temos de recuperar mentalmente os jogadores, mas as coisas estão mais complicadas. O pior que podemos fazer é dar as coisas como consumadas. Eu recuso isso, de todo. Quer se queira quer não, este resultado acaba por pesar. Não só pela derrota, mas também pelos números. Temos de dar a volta e tentar conquistar fora o que perdemos em casa.»

sobre a saída de Coentrão «Quem me conhece sabe que não fujo a questões melindrosas. Mas, sinceramente, não vi o que quer que seja. Se calhar é uma situação em que o Fábio queria dar o contributo à equipa e ficou chateado., não são situações muito normais, mas volta e meia acontecem. Se aconteceu alguma coisa, internamente resolvem-se.

Manuel Machado

«Se é um passo de gigante para a Europa? É um passo normal, são mais três pontos, vínhamos de dois resultados negativos fora e por isso era importante rectificar e ganhar. Juntámos três pontos, temos uma meta a atingir, que são os 50, estamos a 11 e temos sete jogos para o fazer. Não perdemos contacto com quarto lugar e ampliámos um pouquinho a diferença para quem nos persegue: Leixões, Marítimo e V.Guimarães. Acaba por ser uma semana positiva para nós.»