Bruno Gama, jogador cedido pelo F.C. Porto ao V. Setúbal, é o convidado semanal da entrevista Maisfutebol/Rádio Clube Português. O extremo de 21 anos fala de uma carreira profissional iniciada em 2004, então com 16 anos:

Festeja as vitórias do F.C. Porto em casa?

«Sim, é natural que sim, fico bastante feliz quando o F.C. Porto vence. Não escondo isso. Desde que não seja contra o Vitória de Setúbal! Torço para que o F.C. Porto seja campeão seja campeão e tenha bastantes êxitos.»

Já sabe alguma coisa sobre o seu futuro?

«Ainda não. Tenho mais um ano de contrato com o F.C. Porto, estou à espera que a época acabe e que me digam alguma coisa. Não sei se ando a ser observado, mas acho que o F.C. Porto costuma fazer isso. A aposta do F.C. Porto nos mais jovens, para a próxima época, dá-me mais motivação para poder fazer parte do plantel, mas não vivo obcecado por isso.»

Foi lançado aos 16 anos por Jesualdo Ferreira no Sp. Braga. Saiu para o F.C. Porto quando tinha a possibilidade de ficar no Sp. Braga. Se fosse hoje, faria o mesmo?

«Não estou arrependido, antes pelo contrário. Penso que tomei a melhor decisão, fui para um grande clube como o F.C. Porto. Queria representar o melhor clube português, na minha opinião, e singrar lá.»

Acha que surgiu cedo de mais, olhando para trás? As pessoas já se habituaram a ouvir o seu nome há vários anos...

«Sim, há muitos anos, já pareço um velho (ndr. risos). Não sei, talvez as pessoas esperassem que estivesse num patamar mais alto. Quando surge um jogador novo, as pessoas pensam que o jogador vai chegar rapidamente ao topo, mas nem sempre acontece isso. Alguns demoram mais e outros nem chegam. Só posso dizer que continuo a trabalhar para chegar lá.»

Tem mais um ano de contrato com o F.C. Porto. Seria natural já existirem conversas sobre a renovação. Isso já aconteceu?

«Até agora, ainda não aconteceu, mas espero que a situação se resolva. Ou não. Claro que fico sempre à espera de uma resolução.»

Quando saiu do Sp. Braga, foi real a possibilidade de ir para o Chelsea?

«Sim, abordaram a mim e ao meu empresário. Havia esse interesse, mas preferi ficar em Portugal. Queria impor-me aqui, achei que era demasiado novo para ir para o estrangeiro, por vezes os jogadores acabam por perder-me.»

Face ao esquema que o F.C. Porto tem utilizado, sente que encaixava naquela equipa?

«Sem dúvida, uma vez que o F.C. Porto joga com alas e eu costumo jogar lá, seria o esquema ideal para mim. Mas neste momento, estão lá jogadores fantásticos, que têm demonstrado a sua qualidade.»

Quando Quaresma saiu para o Inter, na época passada, passou-lhe pela cabeça integrar o plantel do F.C. Porto?

«Sim, claro que isso me passou pela cabeça. Até comecei a treinar lá, fiquei uma semana no início da época, mas depois encaminharam-me para o V. Setúbal»