Carlos Cardoso disse no final da derrota no Dragão (0-2), perante o F.C. Porto, que o V. Setúbal aguentou o que tinha de aguentar e que é muito complicado jogar em casa do campeão. O treinador explicou as saídas de Leandro Lima e Bruno Gama aos 58 minutos, quando estavam a ser os melhores, como uma alteração falhada:

«Sabia que era extremamente difícil pontuar, tendo em atenção o valor da equipa adversária e a situação menos boa que atravessámos. Comecei a acreditar quando vi que estávamos com uma atitude muito boa e que tínhamos conseguido criar duas ou três ocasiões para marcar. Quem dá o que tem, a mais não é obrigado. Os jogadores deram o que tinham e não puderam dar mais. Fizemos as alterações que tínhamos due fazer, mas não fomos felizes. O F.C. Porto foi um justo vencedor, mas nós dobrámos o cabo das tormentas acima da linha de água. Após quatro jornadas muito complicadas, com Sp. Braga, Benfica e F.C. Porto, conseguimos sair sem cair na linha de água. Vamos ver se conseguimos nas quatro jornadas que faltam manter a cabeça à tona.

Por que retirei o Leandro Lima e o Bruno Gama aos 58 minutos? Porque o F.C. Porto estava a atacar muito pelos laterais, e eles tinham de os acompanhar. Por isso já não conseguiam atacar como deviam. Pensei que com as alterações pudessem travar essas subidas dos laterais do F.C. Porto e poderia dar hipótese a um jogador do centro para entrar mais pelo meio no apoio ao Carrijo. Não sou dono da verdade e os jogadores que entraram não o fizeram bem. É muito difícil jogar no Dragão com o F.C. Porto, que tem um banco muito forte e mexeu bem no jogo. Aguentámos o que tínhamos de aguentar.»