Carlos Brito, treinador do Rio Ave, comentou desta forma a derrota da sua equipa na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, frente ao F.C. Porto (1-3)

«Não dou por perdida a eliminatória, seria uma falta de respeito para com os adeptos. Mas claro que ficou mais difícil. São poucas as equipas que vencem no Dragão. Já tinha dito que o sorteio não tinha sido bom para nós. Fizemos uma boa primeira parte, mas o primeiro golo do F.C. Porto fez-nos desorganizar um pouco. Não funcionámos como equipa durante alguns períodos e acabámos por ajudar o F.C. Porto a ser ainda mais forte. Não engulo essa história das fases negativas, nunca esperei facilidades pela suposta crise do F.C. Porto. Não estou de todo zangado com os jogadores, mas temos de aprender que, deixando de funcionar como equipa, não somos tão bons como isso.»

Sobre os castigos de Hulk e Sapunaru: «Há duas ou três semanas, antes do jogo com o Braga, perguntaram-se sobre isso. Mas disse: a minha opinião não conta para nada. Vale o que vale. O bom senso diz-me que não é nada comigo. Sinceramente, a única coisa que posso dizer é que não é de todo bom para o futebol, esta confusão. Não direi que me passa ao lado, mas o que é que eu vou acrescentar? Só lamento a confusão.»