Carlos Martins teve um comentário curioso a propósito da grande penalidade decisiva que apontou. Ainda no relvado, aos repórteres das rádios, o médio usou a palavra «tranquilidade», usada com muita regularidade por Paulo Bento, técnico com quem trabalhou no Sporting. Na zona mista do Estádio do Algarve o jogador disse que não tinha segundas intenções, mas voltou a empregar o termo:

[Lembrou-de Paulo Bento quando marcou?] «Lembrei-me que tinha o objectivo de marcar. Dependia de mim. Empreguei a palavra tranquilidade pois ocorreu-me. Se é inocente? Agora não posso dizer a palavra tranquilidade? Não vamos levantar ondas. Só disse que dependia de mim e que fiz o golo com tranquilidade.»

«Estava confiante que podia marcar. Fiz o golo com muita tranquilidade.»

«Penso que o Benfica é um justo vencedor. Agora vamos fazer tudo por tudo para conquistar o campeonato.»

[sobre a revolta existente no balneário do Sporting] «A única mensagem é que posso deixar é quequando acontecem coisas contra nós, também ficamos tristes. O futebol é assim. Não sei se há penalty ou não, mas se o árbitro marcou é porque há.»