«Por vezes não se entende o sorteio, mas nós não decidimos. Não estou de acordo com a forma como se executa. Cada grupo devia terminar de acordo como começa», disse o guarda-redes espanhol, em conferência de imprensa organizada pelo Real Madrid, e que juntou alguns internacionais que vão estar no Mundial.

Questionado sobre a possibilidade de erguer o troféu pela segunda vez, Casillas afirmou que «será muito difícil». «Cada adversário vai querer dar cem por cento e vai querer vencer-nos. Prometemos, ou prometerão aqueles que forem ao Mundial, dar tudo para chegar o mais longe possível», afirmou.

O capitão espanhol defendeu que o sorteio «foi difícil», pois a Espanha «começa frente aos subcampeões, que fizeram uma qualificação soberba, e depois com o Chile, uma equipa à qual sempre custou ganhar». «Mas na África do Sul começámos a perder com a Suíça e depois ganhámos a Portugal, Alemanha e Holanda. Temos que pensar jogo a jogo», lembrou.