«Pepe é um bom jogador, mas está a jogar no Real Madrid e não num bairro. Respeito-o e desejo-lhe o melhor, mas também defendi aquela camisola, ali cresci e ensinaram-me outros valores. Não é agradável ser pisado depois de sofrer um penalty. Não tem qualificação, sempre fui um cavalheiro e, agora, quem tem de decidir que o faça», comentou o jogador espanhol, citado pela rádio «Onda Madrid».

O centrocampista considerou, ainda, «infelizes» as críticas do treinador dos merengues, Juande Ramos, à sua decisão de tentar marcar a grande penalidade à Panenka, lembrando que deve preocupar-se mais em «dar luta ao Barcelona e solucionar os seus problemas». Depois da expulsão de Pepe, aos 87 minutos, Casquero não conseguiu enganar Casillas.

«Treinei-o muitíssimo e estava plenamente convencido de que era a melhor forma para marcar. Estou chateado porque não acertei bem na bola, mas estava certo de que não ia falhar. Estas decisões fazem de mim o que sou hoje e não me arrependo do que faço em campo», defendeu Casquero.