A formação espanhola tinha empatado a uma bola em Moscovo, e tinha vencido todos os jogos caseiros com equipas russas, mas desta vez foi surpreendida. O CSKA colocou-se em vantagem no marcador (e na eliminatória) aos 39 minutos, com um golo do checo Tomas Necid. O Sevilha precisou de apenas dois minutos para reagir, com Perotti a deixar tudo empatado.

O golo que decidiu a eliminatória surgiu já no início do segundo tempo. Keisuke Honda cobrou um livre directo e contou com a contribuição de Palop, que socou a bola para dentro da baliza. Tantas vezes herói, desta vez o guarda-redes espanhol foi vilão, ainda que o público da casa tenha centrado atenções no técnico Manolo Jiménez.