Foi o próprio Armtrong quem deu conta através do Twitter de um diagnóstico mais grave, feito pelos médicos já nos Estados Unidos. «Parece que a fractura não era assim tão «limpa», notou Armstrong, que apesar das limitações não deixou de escrever curtas mensagens para quem o segue no Twitter, ironizando sobre o assunto: «É difícil twittar com a mão esquerda.»

O heptavencedor da Volta a França, que decidiu voltar à competição esta época após três anos de ausência, mostra-se de resto optimista sobre a recuperação. «Parece-me possível ir ao Giro. Se a operação correr bem e a placa metálica se instalar sem problemas, não acho que as coisas possam complicar-se», afirma. Johan Bruyneel, director da equipa Astana, garantiu por seu lado que o norte-americano estará apto para a Volta a França, e admitiu que o Giro ainda não está descartado.