Treinador do Barcelona, Quique Setién não quer o regresso do futebol de forma prematura.

Em entrevista ao jornal alemão Sueddeutsche Zeitung, o técnico espanhol defendeu que a saúde está em primeiro lugar e que não se deve antecipar o regresso dos campeonatos por motivos económicos.

«O que é mais importante? O dinheiro? Eu dou o meu dinheiro! O dinheiro compensaria se eu infetasse as minhas tias, por exemplo?», começou por dizer.

«E também não sou só eu. Há muitos empregados à volta de uma equipa –  que tratam dos equipamentos, que são nossos motoristas, que cozinham para nós – e que também têm famílias», prosseguiu.

Setién disse mesmo que se recusará a jogar se houver qualquer tipo de risco: «Não há nada mais importante que a vida e a saúde. Toda a gente terá de suportar as consequências desta crise, o futebol também. Se jogar envolvesse qualquer tipo de risco, rejeitaria.»