O Benfica já bateu o F.C. Porto esta temporada no polémico jogo no Estádio da Luz, mas o central entende que não se podem fazer comparações. «É um jogo diferente porque é uma final, é um jogo com um rival, um jogo difícil, vamos ter de trabalhar muito, mas estamos preparados. Quero que seja igual ao do ano passado, independentemente do que se passar durante o jogo», referiu.

Qualquer que seja o resultado deste domingo, David Luiz garante que não vai ter qualquer influência no jogo com o Sp. Braga, marcado para a próxima semana, para o Estádio da Luz. «O Benfica entra em todos os jogos para ganhar, independentemente do resultado que possa acontecer. O Benfica sabe o caminho que está traçando e sabe o caminho onde tem que estar. Sabemos que o trabalho não é feito só de um jogo. Sabemos o que temos de fazer dentro de campo, ganhando ou perdendo», comentou.

A verdade é que o Benfica atravessa um bom momento e os jogadores têm recebido doses maciças de confiança. «Confiança temos sempre, o melhor momento não sei. Estamos no caminho bom, as coisas estão acontecer positivamente porque estamos a ir atrás delas. As coisas estão acontecer da forma que a gente espera. Estamos sempre preparados», destacou.

O F.C. Porto atravessa um momento mais delicado, não só no plano desportivo, mas também no plano físico. Só este sábado, Mariano González e Varela foram submetidos a intervenções cirúrgicas e não jogam este domingo. Apesar de tudo, a equipa de Jesualdo Ferreira continua a contar com um ataque temível, com Falcao à cabeça. «Encaro o Falcao como encaro os outros. São jogadores qualificados, de grande capacidade. Vamos para o jogo concentrados», garantiu.

Duas equipas com trajectórias distintas, mas para David Luiz, numa final não há favoritos. «A final é um jogo atípico. São dois grandes clubes, duas equipas com muita qualidade e nesses jogos não tem favoritismos, tem muito sentimento. A equipa que estiver melhor preparada psicologicamente pode fazer a diferença. Estamos com cabeça fria», referiu.

Um jogo sem favoritos até porque, para o central brasileiro, o passado, mesmo o recente, terá pouca influência no jogo deste domingo. «Independentemente do que se está a fazer na época, o futebol que já se fez já não vale. O passado é passado, o que fizemos no campeonato já passou», insistiu.