Depois do Adeus é uma rubrica dedicada à vida de ex-jogadores após o final das suas carreiras. O que acontece quando penduram as chuteiras? Como passam os seus dias? O dinheiro ganho ao longo dos anos chega para subsistir? Confira os testemunhos, de forma regular.









Maisfutebol






«Há muitos antigos jogadores sem emprego nem dinheiro»   

Domingos Gomes (Lixa) é atualmente o supervisor da equipa de receção do hotel onde trabalha. Encara o futuro com alegria, gosta do que faz e sente-se valorizado.

«Gosto do meu trabalho e sou feliz. Posso dizer que sou um sortudo porque sei que as coisas não são fáceis. Há muitos antigos jogadores sem emprego nem dinheiro, ou porque não o souberam gerir, ou porque investiram mal e agora não sabem o que fazer. Eu tinha o 10º ano, aproveitei isso, formei-me e aceitei este novo desafio com entusiasmo»

Os responsáveis Park Inn acabaram por descobrir que Lixa vinha daquele mundo encantado que traz incertezas para o futuro. «Eu não costumo falar muito disso, é raro, mas o diretor do hotel soube e agora têm orgulho em me apresentar às pessoas como ex-profissional de futebol. Dizem que para um jogador passar para a receção de um hotel tem de ser humilde. Não é fácil aceitar essa reconversão.»

«Posso dizer que sou um vencedor, foi uma prova a que Deus me submeteu e felizmente superei. Não fui feliz no futebol mas agora sou, graças ao meu filho que nasceu há dois anos e ao apoio da minha família», frisa.

O futebol ficou para trás. Lixa afastou-se para não cair no abismo. «Sinceramente, já via pouco futebol quando jogava e agora muito menos. Só vejo os grandes jogos. Quis desligar-me um pouco e também saí de Portugal por isso. Os que atravessaram o deserto comigo sabem aquilo que passei», desabafa.

«Agora sou feliz na minha nova vida mas ainda trago a mágoa comigo. Podia ter ido com o Deco para o FC Porto, ganhar muito dinheiro e ter sucesso. Vejo como foi a carreira dele e de outros que jogaram comigo, como o Fernando Meira, o Maniche, o Ricardo Carvalho, e claro que isso vai sempre mexer», remata.

Nesta conversa com o Maisfutebol, Lixa admitiu os erros da adolescência, explicou o não ao Benfica e revelou quando ia ganhar no FC Porto, se a grave lesão não tivesse alterado o rumo da sua carreira. Tudo para ler na segunda parte desta entrevista. Leia AQUI.