O Benfica é por estes dias um mistério.

Depois de uma bela noite de futebol no Estádio da Luz, durante a qual podia ter arrumado a eliminatória, a formação de Bruno Lage fez esta quinta-feira uma exibição medíocre em Frankfurt e acabou por permitir a reviravolta do Eintracht.

A verdade é que os jogos do Benfica se tornaram uma caixinha de surpresas. Tanto podem terminar numa grande exibição e muitos golos, como podem acabar num futebol insípido e monótono.

Pior do que isso, porém, é que desde que ganhou ao FC Porto a equipa nunca mais afirmou força e autoridade. Depois do clássico, ganhou apenas sessenta por cento dos dez jogos que fez: ou seja, em dez jogos realizados ganhou apenas seis. Somou três derrotas (Dínamo Zagreb, Sporting e Eintracht), um empate (Belenenses) e também uma vitória arrancada do fundo da alma (Tondela).

Pelo caminho foi eliminado de duas competições (Taça de Portugal e Liga Europa), ao mesmo tempo que foi tornando mais óbvia uma certa instabilidade numa fase decisiva da temporada.

A verdade é que o Benfica está por estes dias muito menos seguro do que já foi: e isso, numa fase em que o mais pequeno percalço no campeonato pode ser fatal, não é nada promissor.