Livro: Michael Jordan The Life
Autor: Roland Lazenby

«Um dia, ainda olham para cima e veem-me a jogar com 50 anos. Não se riam, porque os obstáculos, tal como os medos, são muitas vezes uma ilusão.»

O discurso de Michael Jordan quando entrou para o Hall of Fame do basquetebol diz muito da personalidade daquele que é, para uma larga maioria, o melhor basquetebolista de todos os tempos.

Michael Jordan The Life é a última biografia sobre His Airness e pretende descobrir o que está por trás daquela frase, de onde vem o instinto competitivo que fez de Jordan uma lenda no desporto. No fundo, diferencia-se de todas as outras biografias sobre o mais famoso 23 do mundo porque lhe foi às raízes, foi mais atrás na linhagem, até à profundidade de um estado sulista e racista onde a família de Jordan se estabeleceu e onde o próprio cresceu.

O discurso de Jordan no Hall of Fame

Mas podemos mesmo começar pela descrição do livro na Amazon. «The Shrug. The Shot. The Flu Game.» As referências são óbvias a três momentos na NBA, desde o sexto triplo frente a Portland ao jogo com Utah, nas finais de 1997.

«Michael Jordan é responsável por momentos sublimes, tão impregnados na história da modalidade que têm nomes próprios. Quando muita gente pensa nele, pensa nos seus bonitos lançamentos com o jogo a acabar, o corpo totalmente sincronizado com a bola, que só toca na rede», lemos na apresentação do livro de Roland Lazenby.

«Mas apesar de toda a sua grandeza, este descendente de uma complexa família da costa da Carolina do Norte tem um lado negro: é um competidor implacável e amante de apostas altas. Nunca houve uma biografia que tenha englobado a dupla natureza do seu caráter e tenha olhado para Jordan de forma tão profunda, dentro e fora de campo», acrescenta-se. 

O pai James com Michael Jordan

       

O primeiro ponto que se deve ter em mente é que Michael Jordan não colaborou para esta biografia. Ainda assim, o autor Roland Lazenby tem na bagagem 30 anos de acompanhamento da personagem e um sem número de entrevistas com o antigo jogador de Bulls e Wizards e atual dono dos Charlotte Bobcats. Lazenby já escreveu outros livros sobre basquetebol, até mesmo com Jordan como protagonista.

Por exemplo, «Blood on the Horns» contém muito material sobre MJ. Mas deixemos o autor explicar em que é que este Michael Jordan The Life é diferente. «Blood on the Horns era a história de uma época. Este é a história de uma vida, que parte da história nunca contada da família de Jordan. É um livro muito diferente, com um contexto muito diferente.» ´

The Shrug: na comparação com Clyde Drexler acusaram Jordan de não marcar triplos...ele fez seis

Lazenby escreveu quase 700 páginas e deixou mais 300 de parte. Fez uma investigação cuidadosa, fez entrevistas com antigos colegas, amigos e familiares. É pelos antepassados que o escritor nos tenta explicar as motivações de Jordan, o primeiro ex-jogador e primeiro negro a ser dono de uma equipa da NBA. Talvez o facto de ter comprado o franchise de Charlotte, muitas vezes apelidado de Chernobyl da NBA, tenha muito a ver com esse background da Carolina do Norte segregacionista.

Como seria de esperar, o livro passa por muitos episódios em campo de Michael Jordan, mas também pelas maiores polémicas e dúvidas fora dele, como o vício de jogar Craps [dados] que já o fez perder milhões de dólares ao relacionamento com os colegas de equipa.

«Pippen teve de sobreviver a provas de fogo nos treinos durante anos para ter a aprovação de MJ. Não foi fácil. […] Mas entre Michael Jordan e Dennis Rodman sempre se respeitou uma distância. Respeitavam-se um ao outro, davam espaço um ao outro, não precisam de interagir. Steve Kerr explica-o bem no livro», respondeu Lazenby, num fórum que criou acerca do livro. 

PODE LER EXCERTOS DO LIVRO AQUI (depois de abrir, clicar na foto do livro, no lado esquerdo)           

Um dos momentos marcantes na vida de Jordan fora dos campos foi o assassinato do pai. Lazenby: «MJ tornou-se numa pessoa muito mais zangada depois da morte dele, o que é comum nas famílias das vítimas. “Eu posso ser bastante duro”, disse-me ele em 1998, quando lhe perguntei sobre o trato que tinha com aqueles que o rodeavam.»

O polémico Jerry Krause, ex-general manager dos Bulls, relata no livro que «Jordan lembra-se de todos aqueles que achavam que não ia ser grandioso, recorda-se de toda e qualquer história negativa que alguma vez foi escrita sobre ele», o que é outro indicador do caráter de MJ.

Lazenby desvenda-nos um lado mais obscuro de Michael Jordan. Procurou razões quer para essa faceta, quer para a grandiosidade de Jordan como jogador, e, por fim, para o Jordan atual, dono de uma equipa de basquetebol. É como se tivesse ouvido o discurso de Jordan no Hall of Fame e daí tenha partido para dar a conhecer todas as facetas de Jordan. 

«Escrevi um livro honesto», disse no fórum já citado, em resposta sobre se a boa relação com Jordan poderá mudar depois de a obra ter sido lançada neste maio.

Desconto de tempo é uma nova rubrica do Maisfutebol, de Luís Pedro Ferreira. Junta desporto e cultura, sobretudo o que é novidade. Sugestões? Siga para lpferreira@mediacapital.pt