«Dennis [Bergkamp] é a ciência, a inteligência, o carisma. Uma personalidade forte, muito determinado, super profissional. Vi o Dennis, desde o primeiro dia da carreira até ao último, concentrado em todo e qualquer passe. O Dennis era o perfecionista inteligente.»

Estas palavras do treinador sobre o holandês são apenas uma das muitas que nos levam a entrar no coração dos Invencíveis, pela escrita de Amy Lawrence.

Jornalista do The Guardian e do The Observer, Lawrence ganhou precisamente nesta semana o prémio de melhor repórter de futebol pela Football Supporters Federation, de Inglaterra, numa associação com a William Hill.

Lawrence é uma apaixonada do Arsenal. Enamorou-se pelo clube, basicamente, por uma questão de proximidade: o conceito de mesmo ao virar da esquina aplica-se corretamente à morada em que cresceu e o estádio dos gunners.

Aquela equipa de 2003/04 e o seu recorde de 49 jogos seguidos sem perder já foram alvo estudos e documentários. Mas Invincible leva-nos para o lado dos protagonistas.

Primeiro porque Wenger, como fez com Bergkamp, analisa cada um dos jogadores que orientou e o levaram à conquista daquela Premier League, desde Patrick Vieira até Henry ou Ashley Cole, um dos arrependimentos que tem na carreira.

Na crítica à obra de Lawrence, eis o que escreveu Henry Winter, do Daily Telegraph. «Este livro tem tantas entrevistas exclusivas que em pouco tempo nos sentimos como parte do plantel. Um valioso tributo a uma das melhores equipas de sempre do futebol inglês e que nos faz desejar por mais um jogo em Highbury.»

Sim, convém não esquecer que a ação se passa no antigo estádio do Arsenal, hoje transformado para habitação. O prefácio e o posfácio são do próprio Wenger e o livro serve para que os protagonistas contem a história como a viram…e fizeram.

«Desde a batalha de Old Trafford à celebração em White Hart Lane, desde as picardias nos treinos a revelações de balneário, os leitores entram nos bastidores, no relvado e na cabeça dos jogadores para perceber o trabalho e a psicologia da equipa para acabarem invencíveis», lê-se ainda na descrição do livro.

A Viking publicou a obra de Amy Lawrence neste novembro, para celebrar os dez anos do feito dos Invincibles. Foram 49 jogos seguidos sem vencer, até uma polémica visita a Old Trafford, que terminou em derrota e ficou para sempre conhecida como «A Batalha do Buffet.» Mas isso é apenas o final da história, e Fàbregas lá explicará melhor o que lhe deu para atirar pizza a sir Alex Ferguson.