Diego Maradona foi punido com dois meses de suspensão pelas polémicas declarações no fim da vitória sobre o Uruguai. O seleccionador argentino, recorde-se, reagiu com indignação após a garantia de apuramento, acusando os jornalistas argentinos de não terem acreditado nele. «Que a chupem e continuem a chupar», disse então.
«Diego Mamando Maradona»: «El Pibe» perdeu as estribeiras
Esta tarde Maradona foi chamado a prestar declarações na sede da FIFA, em Zurique, perante a Comissão Disciplinar, tendo tentado explicar-se durante duas horas e meia. No fim foi punido com dois meses de suspensão, durante os quais «não poderá exercer qualquer actividade relacionada com o futebol», mais uma multa de 16.500 euros.
Maradona foi considerado culpado de infringir o artigo 57 do Código Disciplinar da FIFA. A Comissão Disciplinar presidida por Marcel Mathier acabou por levar em conta o facto de Maradona se ter mostrado arrependido das declarações que proferiu e de ter pedido desculpa na audiência com a Comissão Disciplinar da FIFA.
Desta forma, o argentino está proibido de exercer o cargo de treinador até ao dia 15 de Janeiro de 2010. Mesmo assim, adiantou o órgão disciplinar no fim da audiência com Maradona, o seleccionador ficou avisado que a repetição de um incidente similar, ou desrespeito pela suspensão de dois meses, levará a FIFA a impor sanções mais graves.
Maradona, diga-se já agora, deslocou-se à sede da FIFA este domingo, tendo chegado atrasado uma hora à audiência: estava agendada para as 14 horas, mas o argentino só chegou já depois das 15 horas. Falou durante duas horas e meia e regressou a Espanha logo após o fim da audiência, para se juntar novamente à comitiva da selecção.