Valentín Viola foi surpreendido pela proposta do Sporting. O avançado do Racing Avellaneda assume que jogar no futebol europeu é um sonho, mas não contava que essa possibilidade surgisse logo aos 20 anos (faz 21 no próximo mês de agosto).
«Apanha-me desprevenido. Comecei uma boa pré-época, a pensar na primeira jornada, na Taça Sul-americana, na final da Taça da Argentina. Chegou de forma inesperada. Sonhava jogar no campeonato argentino, ser um ídolo no Racing e depois ir para o estrangeiro, que é o que qualquer jogador deseja. Foi uma surpresa», disse o avançado à rádio «La Red», a propósito da proposta leonina.
Embora mostre disponibilidade para rumar a Alvalade, o jogador mostra alguma cautela, por respeito ao Racing: «Foram faladas muitas coisas que eu ainda não sei. Vou falar com o Gastón Cogorno (ndr. Presidente) para ver o que lhe disseram, o que chegou, e se serve o clube. Vamos decidir isso em reunião. É o clube, em primeiro lugar, que diz se a oferta se aceita ou não.»
Em todo o caso, Viola pode já nem vestir a camisola no Racing no próximo fim de semana, se o processo evoluir. «O meu crescimento foi forte e rápido, mas sabemos que no futebol tudo muda em 90 minutos. Marcas dois ou três golos num clássico e tudo muda. Por agora estou a treinar com os meus colegas, às ordens do treinador. Ele decide se jogo o clássico ou não», disse o avançado, a propósito do duelo com o Independiente.